Quando a música faz sentido

20/

02/18

Quando falamos sobre o ensino de música, seja teórico ou voltado a um instrumento como a flauta doce, muitas vezes discutimos o currículo, ou o programa que deve ser ensinado. Seria isso suficiente?

Durante o período que o estudante de música inicia seus estudos até se formar, é dada muita ênfase no que ele deve aprender durante o curso, mas pouco é ensinado sobre as habilidades ou comportamentos que fazem com que a música tocada seja bela e toque o coração do público, isto é, o que realmente faz a diferença na vida de um músico.

Componentes da musicalidade

Façamos uma reflexão: O que faz que alguém seja considerado um bom músico? Eu sei, não é fácil responder essa pergunta de maneira objetiva, e creio que essa pergunta não tenha muito a ver com estilo musical, mas sim, com a prática musical. Quando penso num músico que admiro, algumas coisas são comuns em quase todos eles:

  • Toca/canta perfeitamente afinado
  • Toca/canta com som lindo
  • Total domínio da técnica do canto/instrumento
  • Parece fácil tocar, parece mágica
  • Demonstra prazer em fazer música
  • Tão fluente na técnica que torna a música uma linguagem, parece que “toca sem sotaque”.
  • Interpreta a música com aparente liberdade de tempo e ritmo, embora a música permaneça no tempo
  • Pode até seguir regras estéticas do seu estilo, mas sempre quebra essas mesmas regras surpreendendo o público.
  • Corre riscos artísticos
  • Improvisa, no sentido amplo do termo, não apenas em sessões de improvisação
  • Se destaca da maioria, surpreendendo em momentos específicos.
  • Interpreta o texto musical de forma convincente, assim como um bom ator interpreta um texto
  • No caso de erro, além de não demonstrar, transforma o erro em ornamento

E o que isso muda em nossa prática da música?

Para àqueles que buscam melhorar a prática musical, procure incorporar cada um desses elementos em sua prática diária, e busque estratégias para chegar neste resultado.

Para os professores, é importante ensinar aos nossos alunos desde a primeira aula da importância de cada um desses fatores, e mostrar a eles o exemplo dessas boas práticas para que possam imitar e desenvolver essas habilidades. Só assim eles irão se desenvolver em todo o seu potencial.

E você, tem alguma contribuição a fazer? Tem algo a acrescentar? Deixe seus comentários abaixo!

Tópicos relacionados

1 Comentário para "Quando a música faz sentido"

  1. Interessante discussão e acho que ainda rende mais. Fico imaginando que ferramentas pedagógicas se utilizaria para desenvolver tais habilidades. Já que embora não tenha aprendido o pouco que sei da forma tradicional, nunca vi nada que procurasse desenvolver algo “além” da técnica.

Deixe uma resposta


Artigo Inglês