Entenda por que flauta doce não é brinquedo!

31/

07/15

 

A flauta doce não é um brinquedo!

 

Embora encontramos no mercado brinquedos com cara de flauta doce, a flauta doce é um instrumento musical como outro qualquer. A quem diga: “tudo bem!” pagar R$1,99 em um brinquedo com cara de flauta doce, mas desculpem… é um brinquedo, e só!

Para quem pretende ter algum contato com o instrumento flauta doce, acho importante estar atento a alguns sinais, uma vez que você pode ser facilmente enganado!

Para que não haja dúvidas, vou ter de comparar a flauta doce com um piano, apesar de não gostar de comparações! Não vou fazer isso com o violão, por exemplo, pois esse é parceiro da flauta doce no quesito DESINFORMAÇÃO!

 

Como saber quando um piano é um brinquedo?
Essa resposta é simples, não? Pelo tamanho dele!

Como saber quando uma flauta doce é um brinquedo?
Oh não?! o tamanho é o mesmo!

Quando alguém inicia o estudo do piano, e não tem dinheiro suficiente para comprar um bom instrumento, o que se deve fazer? Normalmente pianistas acabam comprando teclados e pianos digitais, correto? Talvez!

Se quero estudar flauta doce, e não tenho dinheiro para comprar um bom instrumento de madeira, (aliás, mesmo sendo um bom instrumento custa menos que um piano), o que faço?
Acabo comprando a mais barata….
Nesse aspecto você pode acabar comprando o brinquedo de R$1,99 ou um instrumento de plástico para iniciantes que custa em média R$30,00.

No caso dos pianistas que acabam optando por um piano digital: Um piano digital é exatamente o mesmo que um piano acústico? É possível fazer as mesmas coisas nos dois?

1173798_713378402011191_1980022744_nPara os flautistas…. talvez vocês estejam pensando… Ah! Mas a comparação de um piano digital com a flauta de R$30,00 é injusta….
Ok! Então vamos falar da série ‘melhor’ de plástico que custa em média R$150,00.
Quem já experimentou um instrumento de madeira, mesmo feito em fábrica, sabe que não é possível fazer as mesmas coisas em um instrumento de plástico e em um de madeira.  Veja bem, não estou falando aqui de instrumentos de Luthiers, a comparação não é entre um Steinway e uma flauta doce.

Em relação a produção do som nos instrumentos.
Imaginemos a seguinte situação: Se alguém senta ao piano e toca com apenas um dedo da mão direita a melodia de Asa Branca (melodia popular brasileira) é possível afirmarmos que essa pessoa toca BEM piano? Claro que não!
Podemos fazer uma lista do que falta: outros dedos, cuidado com a produção do som, outra mão, harmonia, um belo e inteligente arranjo, fraseados, articulações… mais e mais e mais… um longo caminho a ser percorrido!

Ainda na mesma situação: se imaginarmos alguém tocando Asa Branca na flauta doce sem articulação, ou com apenas uma consoante de articulação… podemos dizer que ele toca BEM flauta doce? (não vamos entrar no universo daqueles que tocam flauta doce com o nariz! AFF!!!!)

Com certeza, Não!

Assim como tocar o piano com um único dedo, sabemos que há um caminho looongo para que o flautista venha tocar o nosso instrumento bem quando este ainda ensaia os primeiros sons no instrumento, como na situação com a Asa Branca, por exemplo.

De todos os preconceitos relacionados à flauta doce, sabemos então que aquilo que nos falta, se pensarmos na comparação com o piano, são boas referências.

Temos muitas referências de flauta doce. Mas o tamanho, o material, a falta de referência de excelentes performances só nos fazem confundir… O fato dela ser um instrumento que se deu tão bem com as crianças, graças às inúmeras fábulas e histórias da literatura infantil; o fato dos instrumentos de plástico funcionarem em nosso caso (comparada à história dos pianos) quase como um teclado 5 oitavas, e ainda serem acessíveis financeiramente, só contribuem para que a flauta doce seja desrespeitada.

Essas comparações servem apenas para que sejamos mais abertos e mais seletivos, ricos em informação e formação, em nossas escolhas, comentários e trabalhos com flauta doce. Nem vou entrar no mérito da flauta germânica aqui… pois teria de falar de pianos hering, ai!

 

Tópicos relacionados

16 Comentários para "Entenda por que flauta doce não é brinquedo!"

  1. Excelente texto. Achei ótima a comparação entre a flauta doce e o piano, especialmente por tocar e ensinar ambos os instrumentos. Vale também lembrar que não basta apenas a flauta doce ser de madeira para ser de boa qualidade, da mesma maneira como também temos modelos de pianos acústicos simplesmente péssimos.

    • Exato Mariana! Não basta a flauta ser de madeira ou o piano ser acústico. Porém, flautas de resina feitas em produção em massa nunca serão boas como uma flauta de madeira de um fabricante ou luthier respeitável.
      Já abordamos este assunto em outros tópicos aqui no blog, basta acessar os tópicos mais antigos!

  2. Olá. Poderia indicar algumas boas flautas, para flautistas de nivel intermediário?

  3. Onde posso comprar uma boa flauta doce barroca de madeira soprano ou tenor?

  4. Olá, ainda sobe flautas de madeira e de plástico. O que dizer das flautas Yamaha da serie 300 ou Aulos , Zen-on Stanisbay Júnior. Elas podem seguir a vida de um estudante intermediário e profissional?

  5. Olha, eu sou um iniciante e toco em flautas doce de resina. Eu ganhei uma Germânica de presente (não sabíamos a diferença entre ela e a Barroca) e recentemente ganhei uma barroca da marca RMV (Rampazzo & Del Valhe) um pouco antiga. Seu som é muito bom e melhor do que a Germânica (Yamaha). Mesmo assim, toco as duas em ocasiões especiais, em que cada som se encaixa melhor (mas a predileta ainda é a Barroca). Por que toda essa história? Por que eu acredito que (tirando os defeitos de fábrica) é você quem faz o som.

  6. Parabens pelo texto !Sou professora de flauta doce e luto para que haja respeito com esse belíssimo instrumento e para que ele não seja utilizado apenas como iniciação musical. Tenho um grupo de flauta doce com crianças carentes que utilizam flautas soprano e contralto Yamaha de resina.Por melhor que eles toquem ,a afinação é um dos grandes problemas. Alguma dica?

    • antes de falarmos em afinação, temos que ter consciência que dedilhado certo não garante que a nota esteja certa e afinada. Isso por que a nota depende da pressão do ar e de como o ar é direcionado para o instrumento, e de certa forma, também se relaciona com a articulação usada. Quando o flautista assopra de qualquer jeito, a afinação será de qualquer jeito.
      Sabendo disso, sugiro a leitura dos artigos abaixo:
      Afinação – a prática leva à perfeição
      Afinação – acabando com os mitos

Deixe uma resposta


Artigo